Blog Meu Vinho

08/01/2020
Está frio lá fora? Você pode estar bebendo mais
Novas evidências mostram que o local onde você mora pode afetar a quantidade de vinho que você consome
Você conhece o velho ditado: “É tudo sobre localização, localização, localização”? Ele também pode ser aplicado a quanto álcool você bebe. Uma pesquisa recente publicada na revista online da American Association for the Liver Diseases, Hepatology, mostra uma ligação entre o clima de uma região e seu consumo médio de álcool - especificamente, quanto mais baixas as temperaturas e menos horas de luz solar, maiores são os níveis de consumo.

"Todo mundo presume que as pessoas bebem muito no norte da América porque está frio, mas ficamos surpresos de ninguém ter estudado isso", conta Ramon Bataller, professor da Universidade de Pittsburgh, chefe de hepatologia do centro médico da universidade e autor sênior do estudo.

Para investigar essa hipótese, Bataller e uma equipe multinacional de pesquisadores analisaram dados da Organização Mundial da Saúde, da Organização Meteorológica Mundial e de outros grandes conjuntos de dados públicos para reunir informações sobre 193 países, todos os 50 estados dos EUA e 3.144 municípios americanos. Eles realizaram uma análise sistemática dos padrões e níveis de consumo de álcool das diferentes áreas. Foram quantificados o consumo total per capita, a porcentagem da população que bebe e a incidência de consumo excessivo - assim como a média anual de horas de sol e temperatura média, para ver se há de fato uma correlação entre o consumo de álcool e o clima.

Embora a pesquisa não tenha analisado por que essa correlação existe, de acordo com Bataller, há vários fatores que provavelmente desempenham um papel. O mais prevalente é que o álcool é um vasodilatador, o que significa que ele temporariamente abre os vasos sanguíneos, trazendo sangue quente para a pele e tornando o corpo mais quente em climas frios.

Além disso, os tempos mais frios e os dias mais escuros podem limitar as opções de lazer de uma pessoa, levando-a a ficar em casa e a beber mais do que se passassem mais tempo ao ar livre. Bataller também observa que o clima frio e a baixa quantidade de luz solar estão associados à depressão, o que pode levar a pessoa a beber mais.

É importante notar que este estudo não desmembra a temperatura e a luz do dia de um local por estação, por isso é difícil dizer se as pessoas bebem mais durante o inverno do que no verão, independentemente de onde morem. "Eu diria que este estudo sugere que talvez [as pessoas bebem mais durante os meses mais frios], mas a sazonalidade não foi comprovada em nenhum estudo", ressalta Bataller.

Como muitos estudos que têm a ver com álcool e saúde, este mostra uma correlação, não uma causa direta, e é importante ter em mente que existem inúmeros outros fatores que podem determinar quanto um indivíduo bebe. Certamente não é uma razão para se alarmar - nem uma desculpa para abusar - se você mora em uma área com temperaturas mais baixas. Enquanto você estiver consciente sobre o quanto você bebe - e as razões pelas quais você está bebendo - o frio não deve incomodá-lo, de qualquer maneira.

Fonte: Wine Spectator
 
> Leia as últimas notícias