Blog Meu Vinho

25/11/2020
Enólogos de Bordeaux permitem que novas uvas combatam as mudanças climáticas
Uma votação potencialmente marcante viu sete novas variedades de uvas aprovadas para os vinhos Bordeaux e Bordeaux Supérieur, como parte dos esforços para combater as mudanças climáticas.
Uma proposta para permitir que novas variedades de uvas entrem nos vinhedos de Bordeaux e Bordeaux Supérieur passou por uma importante votação, de acordo com um comunicado da união de vinhos, ou Syndicat.

As sete variedades incluem a Marselha e a portuguesa Touriga Nacional, além dos Castets e Arinarnoa, menos conhecidos, que é um cruzamento entre Tannat e Cabernet Sauvignon.

Para os vinhos brancos, as novas uvas são Alvarinho, Petit Manseng e Liliorila, que nasceu na década de 1950 após uma travessia do Baroque e Chardonnay.

A autoridade nacional de apelação da França, INAO, ainda deve dar a aprovação final ao plano, mas é uma medida potencialmente inovadora para combater os efeitos das mudanças climáticas.

Os benefícios das sete uvas variam de resistência natural relativamente boa a doenças específicas, como podridão cinzenta e bolor, até uma capacidade comprovada de lidar com condições mais quentes.

Jane Anson, especialista em Bordeaux, disse que o plano deve ser um "alerta" para a indústria em geral sobre mudança climática. "Eu esperava que a burocracia de Bordeaux se movesse mais devagar, mas claramente os órgãos de governo veem a importância de dar aos vinicultores a flexibilidade e agilidade para reagir".

É o começo do processo, mas Anson alerta que a Merlot poderia ser mais afetada pelas mudanças, devido à sua maior suscetibilidade ao calor.

Ela destaca que a mudança foi potencialmente uma grande mudança cultural. "Será fascinante rastrear isso."

As novas uvas podem constituir até 10% da mistura final, mas apenas 5% da área vinícola de um produtor. Se a aprovação final for dada, os plantios poderão começar na temporada 2020/21.

Bordeaux e Bordeaux Supérieur representam 55% da área vinícola de Bordeaux, produzindo 384 milhões de garrafas de vinho por ano, de acordo com o órgão da união para as apelações.

Fonte: Decanter
 
> Leia as últimas notícias