Blog Meu Vinho

28/04/2021
Com o objetivo de viver além dos 90? Consumo moderado de vinho pode ajudar.
Um novo estudo constata que o consumo leve a moderado de álcool pode levá-lo mais perto de se tornar um nonagenário
Celebrar seu aniversário de 90 anos é uma façanha impressionante, e uma equipe de pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Maastricht, na Holanda, encontrou uma arma secreta em potencial para alcançar esse marco. O estudo constatou que homens e mulheres que desfrutavam em média de uma bebida alcoólica por dia tinham maior probabilidade de atingir os 90 anos do que os que se abstêm ou bebem muito.

O estudo, publicado na Age and Aging, analisou dados do Netherlands Cohort Study (NLCS), que coletou dados do questionário de saúde de 1986 a 2007 sobre milhares de participantes, incluindo informações detalhadas sobre a ingestão de álcool. Os participantes do NLCS nascidos entre 1916 e 1917 foram selecionados para esta análise devido ao potencial do grupo de atingir a idade de 90 anos no final do estudo. O grupo total de entrevistados consistiu em 2.591 homens e 2.888 mulheres de vários municípios holandeses.

O Dr. Piet van den Brendt e sua equipe de pesquisa utilizaram avaliações dietéticas e um Questionário de Frequência Alimentar para analisar o consumo de alimentos e bebidas, fatores de estilo de vida e condições médicas. Os entrevistados que tomaram menos de uma bebida por mês foram considerados não bebedores. Ex-bebedores foram excluídos da análise principal para evitar confusão com os que não bebiam.

Os resultados mostraram que 16,7% dos homens e 34,4% das mulheres atingiram 90 anos de idade. O consumo moderado de vinho foi associado positivamente à longevidade em homens e mulheres. Os drinks também foram associados positivamente à longevidade nos homens, mas inversamente às mulheres.

"No geral, em homens e mulheres combinados no NLCS, a maior probabilidade de atingir 90 anos foi encontrada naqueles que consomem 5 a menos de 15 gramas por dia de álcool [0,5 a 1,5 copos de vinho]", escreveram os autores do estudo.

Embora os resultados contribuam para o debate sobre a longevidade do envelhecimento, eles devem ser tomados com um grão de sal. O estudo envolve uma população bastante homogênea e conta com participantes relatando seus hábitos de bebida. Embora os autores tratem de certos vieses para refinar os resultados, eles não tiveram acesso a dados sobre hábitos de consumo de álcool ou dados socioeconômicos ao longo da vida.

"Nosso estudo teve como objetivo medir a ingestão de álcool entre 68 e 70 anos", descreveram os autores. “Portanto, os resultados de nosso estudo se limitam ao consumo de álcool mais tarde. Futuros estudos de longevidade incluiriam, de preferência, o consumo vitalício.”

O Dr. van den Brendt enfatiza que esses resultados não devem ser usados como motivação para começar a beber. Eles simplesmente nos aproximam um pouco da compreensão do vínculo entre álcool e expectativa de vida.

Fonte: Wine Spectator
 
> Leia as últimas notícias