Blog Meu Vinho

26/08/2011
Vinho brasileiro tem espaço nas gôndolas irlandesas
O país do uísque se rendeu ao vinho brasileiro. A principal rede de varejo de luxo da Irlanda, a Superquinn, acaba de selecionar dois vinhos da Miolo e um da Casa Valduga, duas das 37 empresas integrantes do projeto Wines of Brasil, realizado em parceria entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Os três rótulos escolhidos para inaugurar a seção Brasil no portfólio dos mais conceituados vinhos do mundo todo disponíveis na rede Superquinn, que tem status de butique de alimentos e bebidas, são os seguintes: Miolo Reserva Merlot, Miolo Reserva Pinot Grigio e o Casa Valduga Premium Cabernet Franc.

Os rótulos verde-amarelos, que já chegaram em Dublin e começam a ser vendidos em setembro, foram selecionados pelo gerente de compras Richard Moriarty, um dos profissionais ingleses mais respeitados do mundo do vinho. Ele disse que ficou admirado com a excelente qualidade dos vinhos brasileiros.

- É um orgulho ter vinhos escolhidos por um local que prima pela qualidade dos rótulos oferecidos – afirma a gerente de exportações do Miolo Wine Group, Morgana Miolo.

- Este é um lugar frequentado por consumidores exigentes, formadores de opinião, que tem um efeito multiplicador para outros canais, como lojas e restaurantes – observa a diretora comercial da Casa Valduga, Juciane Casagrande.

Aberta em 1960, a Superquinn possui uma rede com 23 lojas e mais de 3 mil funcionários na Irlanda. A adega de vinhos é organizada por Richard Moriarty destacando os principais países produtores de vinho do mundo, com total atendimento e suporte de informações aos clientes. A rede possui excelente reputação entre os consumidores de gosto exigente por vender vinhos de categoria diferenciada, a preços justos.

A gerente de Promoção Comercial do Wines of Brasil, Andreia Milan, comenta que a estratégia do projeto é posicionar os vinhos brasileiros nos melhores pontos de venda do mundo, como o Superquinn.

- Só assim criaremos uma imagem positiva para os rótulos do Brasil, que beneficiará todas as vinícolas – comenta Andreia, citando a maior aproximação com sommeliers e compradores que tem sido buscada em ações de degustação e nas principais feiras de vinho do mundo.
 
> Leia as últimas notícias