Blog Meu Vinho

05/09/2013
Beber vinho pode proteger contra a depressão, sugere estudo
Desfrutar de vários copos de vinho por semana pode não só proteger o seu coração, mas também pode ajudar a proteger a sua saúde mental, sugere um novo estudo.

Pesquisadores na Espanha descobriram que o consumo de quantidades moderadas de álcool - especialmente de vinho - foi associado a um menor risco de depressão.

Homens e mulheres mais velhos que consumiram 2 a 7 pequenos copos de vinho por semana eram 32% menos propensos a sofrer de depressão, em comparação com pessoas que nunca beberam álcool, revelou o estudo.

Estes resultados parecem contradizer estudos anteriores, que muitas vezes ligaram o consumo de álcool com um risco aumentado de depressão.

Os pesquisadores sugeriram duas razões para este risco aumentado: As pessoas podem beber mais para mascarar os sintomas depressivos e as pessoas também podem se transformar em alcoólicos para lidar com um problema pessoal, tal como perda de emprego, problemas familiares ou problemas financeiros - todos fatores que também podem desencadear um episódio depressivo.

Quanto ao porquê de essas descobertas parecerem entrar em conflito com outros estudos sobre o álcool, o autor Miguel Martinez-Gonzalez, cardiologista e professor de medicina preventiva e saúde pública da Universidade de Navarra, Espanha, disse que poderia ser devido ao facto de o novo estudo não incluir as pessoas que já tiveram depressão, ou pessoas conhecidas por terem problemas com a bebida.

"Na nossa população de estudo, a média de ingestão de álcool era baixo, e o padrão de consumo era tipicamente mediterrâneo, com álcool a vir preferencialmente de vinho, consumido durante as refeições e sem episódios de binge drinking", afirmou. O estudo foi publicado online a 29 de agosto na revista BMC Medicine.

De ressalvar o fato de alguns pesquisadores do estudo terem recebido financiamento da indústria do álcool para efetuar o estudo. O estudo analisou mais de 5.500 homens e mulheres com idades entre 55 e 80, em Espanha, que estavam envolvidos em um estudo de pesquisa para avaliar os efeitos da dieta mediterrânea sobre o risco de doenças cardíacas. Nenhum deles tinha depressão no início do estudo.

Durante um período de acompanhamento de até sete anos, 443 pessoas relataram ter sido diagnosticados com depressão. Os pesquisadores descobriram que os bebedores moderados, que bebiam 5 a 15 gramas de álcool por dia, em média, tiveram um menor risco de depressão em comparação com as pessoas que se abstiveram de beber (a pequena taça de vinho contém cerca de 9 gramas de álcool puro).

As menores taxas de depressão foram observadas em pessoas que consumiam quantidades moderadas de vinho. O estudo descobriu que os homens e as mulheres que bebiam 2 a 7 pequenos copos de vinho por semana tinham 30% menos probabilidade de desenvolver depressão, em comparação com aqueles que não beberam.

Estes resultados mantiveram-se mesmo depois dos pesquisadores levarem em conta outros fatores de estilo de vida que podem influenciar as taxas de transtorno de humor, como o gênero, a idade, o tabagismo, o estado civil, a escolaridade e os níveis de atividade física .

Embora as razões exatas para justificar os resultados não sejam claras, Martinez-Gonzalez disse que um composto encontrado nas uvas pode ajudar a proteger partes do cérebro de processos inflamatórios envolvidos na depressão. Ainda assim, mais estudos são necessários para comprovar os resultados, sendo que é muito cedo para começar a beber como fator de proteção da saúde mental.
 
> Leia as últimas notícias